Nutrição de leitões neonatos: importância da suplementação

N.E. Manzke, B.K. Gomes, G.J.M.M. Lima, E.G. Xavier

Resumen


A suinocultura vem apresentando uma grande evolução técnica na última década, devido, especialmente, aos grandes avanços atribuídos à genética. Observa-se maior número de leitões produzidos por matriz, o que aumenta os desafios nutricionais, sanitários e de manejo na fase de maternidade. O incremento no número de leitões nascidos reduz a uniformidade das leitegadas, aumentando a frequência de leitões de baixo peso, o que pode levar a um aumento na competição por colostro. Além disso, todos os recém-nascidos apresentam o desafio natural da termorregulação, uma vez que estes animais dispõem de escassas reservas de glicose e gordura corporal ao nascer, dependendo quase que exclusivamente da ingestão de colostro e leite para sobrevivência. Esses fatores levam à mortalidade crescente de leitões neonatos, o que representa um dos maiores problemas atuais na suinocultura, uma vez que o maior número de mortes ocorre nos três primeiros dias de vida. Desta forma, é importante que se realizem estudos sobre o fornecimento de fontes suplementares de energia para melhorar o desenvolvimento imune e o desempenho de leitões nesse momento da criação. O objetivo dessa revisão é caracterizar diferentes fontes que promovam uma suplementação energética adequada, reduzindo a mortalidade e melhorando o desempenho na fase de aleitamento.

Palabras clave


Suínos. Recém-nascidos. Energia. Mortalidade.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v65i252.1931

Enlaces refback



Copyright (c) 2016 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494