Efeitos da bioestimulação sobre a performance reprodutiva em bovinos de corte.

L. M. Menezes, C. C. Brauner, M. A. Pimentel

Resumen


As baixas taxas de natalidade são a principal causa do baixo rendimento produtivo e econômico da pecuária de cria no Brasil. Nas últimas décadas, diversas técnicas de manejo como suplementação nutricional de fêmeas, desmame precoce, e utilização de hormônios foram objeto de pesquisa visando aumentar os índices reprodutivos dos rebanhos. A bioestimulação ou efeito macho é definida como o efeito estimulatório via feromônio genital ou outros sinais externos menos compreendidos causados por um macho ou fêmea androgenizada sobre o estro, puberdade ou ovulação de uma fêmea da mesma espécie. É um técnica de manejo que pode ser utilizada para reduzir o período de anestro pós parto em vacas de corte. Em novilhas, o efeito macho sobre a puberdade não é bem esclarecido. Entretanto, há evidências que diferentes períodos de exposição, tipo e formas de bioestimulação podem ser importantes para aumentar o percentual de novilhas cíclicas. O objetivo desta revisão é elencar formas de bioestimulação, tipos, métodos e técnicas utilizadas, fatores e resultados que afetam a eficiência reprodutiva em bovinos de corte.

Palabras clave


Efeito macho. Atividade reprodutiva. Técnicas reprodutivas.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v59i232.4903

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2009 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494