Testosterona, Colesterol, ADH e a Agressividade em Touros de Lide sob Stress

A.J. Gouveia

Resumen


Os estudos sobre as inter-relações endocrinológicas em bovinos da Raça Brava de Lide são raros, permanecendo ainda incompreendidos todos os mecanismos que concorrem para a sua agressividade. A forma como a deficiência de testosterona ajusta exactamente o metabolismo do colesterol e da vasopressina permanece incerto. Foram estudados 10 touros da Raça Brava de Lide, dos quais, logo após o abate, foi recolhido e analisado o sangue, com o objectivo de se determinar os níveis de Testosterona, Colesterol e Vasopressina (ADH). Verifica-se uma conjunção de valores baixos de colesterol, altos de testosterona e de ADH, coincidentes com uma maior agressividade. A correlação da ADH vs testosterona é positiva e significativa ao nível de 5%. As médias encontradas para o Colesterol Total, a Testosterona Sérica e a ADH são respectivamente de – 139,4 mg/dL, 14,14 ng/dL e de 440,7 pg/ml. E, surge uma putativa correlação evidente, entre a Testosterona Sérica acima de 10,4 ng/dL e o Comportamento dos touros, qualificados com maior agressividade.

Palabras clave


Hormonas. Stress. Vasopressina. Comportamento. Tourada.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v68i264.4990

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2019 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494