Respostas de ingestão e fisiologicas de cordeiros alimentados com torta de dendê (elaeis guineensis)

F. M. Macome, R. L. Oliveira, G. G. L. Araujo, L. P. Barbosa, G. G. P. Carvalho, A. F. Garcez Neto, T. M. Silva

Resumen


Objetivou-se com este trabalho conhecer o melhor nível de inclusão da torta de dendê na dieta de cordeiros por intermédio do comportamento ingestivo, das respostas fisiológicas e bioclima-tológicas. Foram utilizados 32 ovinos machos não castrados da raça Santa Inês com peso vivo inicial de 24,8±3,59 kg, alojados em baias individuais e distribuídos em delineamento inteiramente casualizado, com quatro tratamentos: (0;6,5;13,0 e 19,5% de torta de dendê) na dieta. As dietas foram compostas de farelo de milho, farelo de soja, torta de dendê, premix mineral e feno de tifton como volumoso, sendo fornecidas duas vezes ao dia, às 9 e 16 h, na proporção de 50:50. O período experimental foi de 80 dias, sendo 10 dias destinados á adaptação dos animais ás dietas e ao ambiente. Foi avaliado o consumo de sólidos e água e o desempenho dos animais. Os animais foram pesados no inicio e no final do experimento e foi determinado o ganho médio diário. O tempo de ingestão e a eficiência de ingestão de matéria seca seguiram comportamento quadrático, o tempo de ruminação e o consumo de matéria seca apresentaram efeito linear decrescente e o consumo de fibra em detergente neutro e eficiência de ruminação da fibra efeito linear crescente. Níveis de torta de dendê de até 19,5% na dieta não influenciam os tempos despendidos com ócio e mastigação total, freqüência respiratória, temperatura retal e temperatura superficial. Porém, a freqüência cardíaca nos dois turnos apresentou comportamento linear decrescente com adição da torta de dendê na dieta. Não houve efeito da adição da torta, peso final e ganho médio diário. A inclusão da torta de dendê em até 19,5% afeta alguns parâmetros de comportamento ingestivo, mas não altera de forma significativa o compor-tamento ingestivo. Não foi verificado efeito da adição da torta de dendê na dieta no numero de períodos de ingestão, ruminação e ócio (p>0,05). As variáveis ambientais durante o período experimental proporcionaram situação de desconforto térmico aos animais.

Palabras clave


Alimentação. Bem-estar. Ovinos. Ócio. Ruminação.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v61i235.2702

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2011 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494