Influência de probióticos na prevalência parasitária e níveis de glicose e cortisol em tilápia do Nilo

N. G. Marengoni, L. A. Weiss, D. M. Albuquerque, M. C. Moura

Resumen


A adição de probióticos em rações visa atuar como um bioestimulante da flora intestinal das tilápias. A fase de alevinagem em tanques-rede utiliza grande densidade de peixes, o que pode potencializar os efeitos de estresse. Os probióticos surgem como uma alternativa para a mitigação ou prevenção de danos. O objetivo deste trabalho foi avaliar a influência dos probióticos Bacillus cereus var. Toyoi e Bacillus subtilis C-3201 na prevalência parasitária e verificar o estado de saúde por meio do perfil bioquímico de glicose e cortisol e do fator de condição de Fulton (Kf) para atuar como indicador quantitativo do bem-estar de tilápia do Nilo da linhagem GIFT cultivada em tanques-rede. Foram utilizados 1800 juvenis de tilápia do Nilo distribuídos em 20 tanques-rede de 0,5 m x 0,5 m x 0,7 m instalados em tanques com baixa renovação de água. O grupo de peixes sem a adição de probióticos (T1) recebeu apenas dieta basal. Os probióticos liofilizados foram incluídos na ração utilizando 2 % de óleo vegetal na mesma proporção utilizada em todos os grupos experimentais. Na ração basal foram adicionados níveis de 0,5 % B. cereus (T2), 0,5 % de B. subtilis (T3), 0,25 % de B. cereus + 0,25 % B. subtilis (T4). As dietas com adição de B. cereus e/ou B. subtilis não foram eficientes no controle da infestação ectoparasitária por monogenóides e trichodinídeos. Houve maior (p<0,001) incidência de Gyrodactylus spp. (71 %) nas brânquias das tilápias em comparação com a prevalência deste parasita na pele ou nadadeiras, enquanto que a infestação de Apiosoma sp. foi maior (p<0,001) na pele dos juvenis. A prevalência média de Epistylis sp., Ichthyophthirius multifiliis e Ambiphrya spp. não apresentaram diferença significativa entre os órgão avaliados. O nível de glicose sanguínea foi maior (p<0,05) nas tilápias alimentadas com a dieta isenta de aditivos. Os probióticos dietários B. cereus e/ou B. subtilis não foram eficientes no controle da infestação ectoparasitária no muco dos peixes. Independente da dieta a pele da tilápia do Nilo é o órgão mais afetado pela infestação parasitária por Trichodina sp., enquanto as brânquias apresentam maior prevalência de Monogenea. O estado de saúde dos juvenis de tilápia do Nilo monitorado por meio do perfil bioquímico de glicose e cortisol, e do fator de condição de Fulton (Kf) não é influenciado pela adição de probióticos Bacillus sp. na dieta.

Palabras clave


Oreochromis niloticus. Tanques-rede. Estresse. Parasitas. Aditivos. Saúde.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v64i245.376

Enlaces refback



Copyright (c) 2015 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494