Uso de cactáceas na alimentação animal e seu armazenamento após colheita

C.B.M. Carvalho, R.L. Edvan, M.L.A.M. Carvalho, A.L.A. Reis, R.R. Nascimento

Resumen


Devido às suas características fisiológicas de economia e uso da água, as cactáceas permanecem suculentas durante períodos de seca, constituindo uma fonte alimentar alternativa principalmente durante a escassez de forragem e como fonte de água para os animais. Dentre as cactáceas mais usadas como forrageiras no Brasil tem o mandacaru, xiquexique, facheiro, coroa-de-frade e palma forrageira. O método mais usual da colheita das cactáceas é manual, com fornecimento direto no cocho para os animais, no entanto esta atividade diária aumenta a mão de obra e onera os custos de produção. O armazenamento desse material após a colheita por longos dias, surge como uma alternativa para minimizar os custos, e até mesmo transportar para longas distâncias, aumentando assim a segurança alimentar dos rebanhos, principalmente nas épocas secas. No entanto pouco são os trabalhos quanto ao efeito do período de armazenamento na composição e qualidade nutricional dessas plantas na alimentação animal. Dessa forma, essa revisão foi desenvolvida com o objetivo de abordar o uso das cactáceas na alimentação animal e o seu armazenamento após a colheita.

Palabras clave


Comportamento animal. Ovinocultura. Pastejo. Brasil.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v67i259.3803

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2018 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494