Estrutura populacional e variabilidade genética da raça caprina Marota

E.A. Barros, M.N. Ribeiro, M.J.O. Almeida, A.M. Araújo

Resumen


A raça caprina Marota é parte do patrimônio genético do Brasil, formada por animais altamente adaptados ao semi-árido nordestino. Este estudo avaliou a estrutura genética do núcleo de conservação da raça Marota, mantida pela Embrapa Meio Norte. Foram estimados os parâmetros populacionais dos dados genealógicos de 663 animais nascidos entre os anos de 1995 a 2003. O coeficiente médio de parentesco (AR) e de consanguinidade (F) para a população foi de 0,11% e de 0,84%, respectivamente. O intervalo de gerações (IEG) foi de 5,28 anos e o tamanho efetivo médio (Ne) por geração foi de 222 animais, sendo que o número efetivo de animais fundadores (fe) e de ancestrais (fa) foi igual (48). Dentre os 214 ancestrais, apenas 22 foram responsáveis por 50% da variabilidade genética da população, o que indica perda de genes de origem. Observa-se baixa contribuição dos animais fundadores ao longo das gerações. Os valores do coeficiente de endogamia de Wright indicam subdivisão da população em linhagens. Em geral, a consangüi-nidade e os valores médios do coeficiente de parentesco são baixos para o rebanho avaliado.

Palabras clave


Conservação. Consanguinidade. Parentesco. Número efetivo.

Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v60i231.4512

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2011 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494