Capim Tanzânia (Panicum maximum) sob sombreamento e manejo de corte.

D. J. Ferreira, A. M. Zanine, S. M. Souto , P. F. Dias

Resumen


O sucesso dos sistemas silvipastoris, dentre outros fatores, depende da identificação de gramíneas tolerantes ao sombreamento, além do conhecimento sobre manejo de pastejo. A literatura mostra resultados separados em relação às gramíneas sobre efeitos ora de sombreamento, ora de altura e intervalo de corte. O objetivo foi estudar o comportamento Panicum maximum cv. Tanzânia, sob quatro níveis de sombreamento (0, 25, 50 e 75%), dois intervalos (30 e 60 dias) e três alturas de corte (15, 25 e 35 cm). O delineamento experimental foi o de blocos ao acaso, dispostos em parcelas subdivididas com três repetições, com os níveis de sombreamento representando as parcelas e o fatorial dois intervalos e três alturas de corte, representando as subparcelas. Os resultados mostraram que o maior intervalo e maiores alturas de corte e os menores níveis de sombreamento proporcionaram mais massa seca aérea nas plantas, enquanto os maiores intervalos e níveis de sombreamento foram os responsáveis pela maior área foliar.

Palabras clave


Manejo forrageira. Intensidade de corte. Freqüência de corte.

Texto completo:

PDF (Português (Brasil))


DOI: https://doi.org/10.21071/az.v59i225.4894

Enlaces refback

  • No hay ningún enlace refback.


Copyright (c) 2010 Archivos de Zootecnia



DESCARGA NUESTRA APLICACIÓN PARA SMARTPHONES

Haz click y sigue las intrucciones

Aplicación Móvil y Shorcut para Apple

Copyright

Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento-CompartirIgual 4.0 Internacional.

Editorial

UCOPress. Cordoba University Press (UCOPress Editorial Universidad de Córdoba)

ISSN: 1885-4494